25 de abr de 2018

Como Valorizar Seu Niva Em 30 dias – Casos & Causos do Niva (post 1187)



Vida longa ao Pernilongo! Nosso personagem desta vez é o Pernilongo, sujeito trabalhador, empresário do ramo Pet Shop, um Camarada Niveiro do bem, e que de tanto trabalhar e se estressar com os negócios deu um grande susto na sua família sofrendo dois infartos, e quase foi embora sem nos favorecer com essa linda história de amor.


O Pernilongo após ser considerado como totalmente recuperado pelo seu cardiologista, ouviu entre outras recomendações médicas: “...e também o senhor deveria praticar um esporte diferente, que te levasse a contemplar a natureza...”.  Não sabendo o médico que o Pernilongo já estava no mundo offroad desde 2014.


O Pernilongo já era apaixonado pela marca Lada e o designer das carrocerias do estilo retro, apesar de serem carros atuais e em plena fabricação, o Niva por exemplo está na casa superior dos 2.000.000 de exemplares pelo mundo. O cara tem dois na garagem, sendo um o Laika. Apaixonados pelo Niva, toda família, e depois de tantas adaptações que fez para deixar com sua personalidade o batizou de “Frankenstein”.


Discriminado e pressionado por vários grupos de offroad em sua cidade por ter um russinho Lada Niva de idade, foi cortado de alguns clubes, que alegavam que o Frankenstein não aguentaria as expedições e viagens, esse tipo de comportamento estava-o deixando muito triste. Nessa época estava com dificuldades nos negócios o que deixava novamente nervoso. Por influência resolveu então vender o Frankenstein por motivo fútil, com a ideia de comprar um 4x4 mais tecnológico e avançado, tais como o Troller e ou o TR4, assim seria inserido novamente na sociedade offroad da sua cidade.


Decidido, anunciou o Niva na OLX em uma quinta-feira com intuito de testar a demanda, para sua surpresa em apenas dois dias vários pretendentes surgiram para fazer o negócio, um comprador de São Bernardo do Campo fechou em torno de R$ 11.800,00. Depois da viatura paga ao Pernilongo, ele passou a encher de defeitos o carro para o comprador, a intenção era para provocar uma desistência, pois começava um sentimento de arrependimento e profunda perda, não pelo valor, mas sim o que representava para a família. Foram grandes e bons momentos.


Primeiro a mulher reclamou, depois o seu filho mais velho questionou e o caçula entrou em prantos: “...eu quero o Frankestein de volta!!!...”. Nesse momento inventou uma história para o filho caçula que o Frank estava arrumando, pensando que com o passar do tempo tudo ia se normalizar afinal ele ia comprar outro 4x4, o que não durou muito tempo. A noite Pernilongo foi acordado pela sua amada dizendo: “...amor o caçula está com febre de 39º...”.  Ele levantou e foi ver o filho que lhe disse baixinho no ouvido: “...eu quero o Frankestein volta!!!...”. Dia seguinte saíram à procura de novo Niva “vermelho” para a família em companhia do pequeno caçula. Achou um Niva a venda e o caçula disse: “...esse não é o Frankestein, eu quero o Frankestein de volta!!!...”. Olhando classificados offroad acharam outro Niva vermelho, foram ver de perto para comprar, quando o caçula viu o carro disse logo: “...esse não é o meu Frankestein, eu quero o meu Frankestein de volta!!!...” – pondo a chorar. Em apenas 15 dias viu sua vida mudar. Algo estava realmente errado dentro de si. Uma tristeza começou a tomar conta de tudo.


A partir daí passou a mandar mensagens para o Charles, o comprador do Frank, tentando obter notícias. Perguntava sobre revisões e afins. Sentia alegria e satisfação como proprietário de um belo Niva, isso o incomodava. Seu pequeno caçula de três anos idade foi piorando de febre cada vez mais e dizendo sempre: “...eu quero o Frankestein volta!!!...”.  Foi quando tomou uma atitude mais séria. Procurou o Charles pessoalmente e explicou em lágrimas o que ocorria com sua família após a partida do Frank. O Pernilongo nunca imaginou passar por isso por conta de um carro. A negociação desta vez após 30 dias foi de R$ 17.000,00. Uma diferença de R$ 5.200,00 em apenas 30 dias. “Eu pagava até R$ 20.000, estava disposto...” declarava o Pernilongo.


Com o retorno do Frankenstein ficou provado que o Niva tem o seu valor e que nunca um Niva foi tão valorizado em 30 dias, um grande negócio.
A família do Pernilongo?
A febre do caçula cessou, a harmonia e a alegria da casa renasceu: “...o sorriso de meu filho caçula, a união da minha família, meu remédio cardíaco que de fato nem preciso tomar mais, pois agora tenho meu Niva de volta...” Comentou Pernilongo.




“O NIVA TE DÁ DUAS ALEGRIAS UMA QUANDO VENDE E OUTRA QUANDO COMPRA E VICE E VERSA!” Provérbio Niveiro.


Pernilongo na verdade se chama Thomaz e pesa 56 kg por isso o apelido desde adolescência. Vida longa ao Pernilongo!



Nenhum comentário: