5 de fev de 2011

Lada Niva 16 anos de Paixão - "...é amor, guardei a data..."

O Niva do Ano de 2010 merecia uma homenagem e nada como contar sua história, e a paixão de 16 anos de Rodrigo, eles são inseparáveis.


Inseparáveis...

Rodrigo sempre gostou de mato, desde criança pescava com o pai, ele acredita que é daí que veio o gosto pela natureza.  A partir de 1994, começou a curtir cachoeiras, acampamentos, praticamente todos os finais de semana, na época ele tinha uma Chevy 500, comenta que afrouxava tudo, direção, suspensão, daí surgiu a necessidade de adquirir um veículo mais robusto e alto, apto para andar fora de estrada.  As buscas ficaram intensas por um 4x4.




Rodrigo curtindo a natureza, em destaque o capacete de ciclista



O curioso é que um amigo indicou o Lada NIVA, e pensou na época:
"Eu quero é um jipão, quero um Willys."

Percebeu então que os CJ's não eram carros para o dia a dia, não teria como deixar uma caixa de ferramenta dentro, materiais, entre outras coisas. Então começou a olhar para o russo com mais interesse. Foi a concessionária "São Braz", autorizada LADA de Brasília, fez uns testes drives e se apaixonou.
De cara entregou o Santana, carro da época, de entrada e financiando uma pequena diferença.



As primeiras brincadeiras...



Ainda com a placa amarela...



Detalhe do bagageiro original...



Primeiro acampamento com o Niva



Isso aconteceu em outubro de 1995 – “Caraca, isso é que é amor, guardei a data do casamento!” – o carro ainda tinha placa amarela. 
“Desde então, foi só alegria, ops!! Claro que tem as tristezas, mas ínfima, em comparação a alegria que este veículo me trás.”

O Niva não tinha praticamente nada. Somente o bagageiro de plástico no teto, “dizem que só os modelos Pantanal tinham, não sei...”





O batismo...


A comunhão com a água...


A lama interna...
 


O Turismólogo especialista em Ecoturismo/Turismo de Aventura Rodrigo R. de Carvalho, fez amizade com um jipeiro e já iniciou no Off-road por trilhas da região da capital do Brasil.  Em 96, já com a placa cinza e com três letras, instalou um PX, bagageiro da keko, faróis auxiliares.

Participou do 2º RAID de Brasília, no qual mergulhou bem fundo no rio, batizando o Niva por dentro.  Entrou água no motor, mas não deu calço hidráulico, ele já sabia como proceder, pois já foi mecânico. No local mesmo resolveu o problema, esgotou o óleo, tirou a água de dentro das câmaras de compressão, colocou óleo novo, limpou as velas e continuou na competição.

“A partir daí comecei a notar que o Niva não era jipe de mentira, ou um 4x4 mais delicado, mas sim um verdadeiro fora de estrada, desenvolvido para rodar na neve, mas apto a encarar com desenvoltura qualquer tipo de terreno.”



 
 


O Niva que é de cor CINZA original, apenas deixou um pouco mais escuro, depois de uma desastrada tentativa de retirada de um atoleiro, o carro estragou a traseira, aí fiz algumas mudanças, ente elas as lanternas redondas.
Rodrigo declara que o Niva dele é 1990/1191: "... o mais antigo do Brasil..."



Rodrigo atolou...




Rodrigo faz parte dos Jeep Clube de Brasília, Jeep Clube Taguatinga e reune os Camaradas do Niva de Brasília.

Lembra do "Fogo Amigo"?


Pois é...  A moda agora é "Reboque Amigo"...


A reforma do Niva foi regada ao Rock in Roll
do RUSH, a música foi "The Big Money"
do disco "Power Windows" - Polygram


 
 
 
“Adaptei lanternas traseiras redondas, mas acho que sou único no Brasil a colocar 3 lanternas de cada lado, na minha opinião, ficou muito bom.”



Levantado com calços...

Detalhes das lanternas...

Rodas do Vitara com pneus 30x9,5x15 recapados



“...meu Niva me proporciona muito, mas muito mais alegria, não é a toa que estou com ele desde 1995 e não pretendo vendê-lo, o amor já dura 16 anos...”




Em fusão com a natureza...

Apoiando o "Cicloturismo"


Ciclismo está no sangue de Rodrigo



Detalhes do Russo:



• Motor Original;

• Carburador Weber 460;

• Bocal do tanque de combustível da F-1000;

• Caixa de direção do Maverick;

• Volante panter;

• Lanternas Redondas (RANDON - carretas);

• Suspensão dianteira: amortecedores do opala, adaptador do pivô da D-20, com as molas originais e calços;

• Suspensão traseira: amortecedores da Kombi Cliper e molas da Pampa 1.8 com ar;

• Snorkel;

• Descarga alta;

• Pneus 6.50x16 no jogo de rodas originais;

• Pneus 205/75R-15 no jogo de rodas do Vitara;

• Observações: “usava pneus Genius 1001 na medida 30x9,5-15 recapados, estava com 31" de diâmetro. Retirei pois o Niva estava fazendo 4,5km/litro e ficou fraco.”

 

1º Acampamento...

“...meu Niva me proporciona muito, mas muito mais que alegria, não é a toa que estou com ele desde 1995, um casamento, e não pretendo vendê-lo, o amor já dura 16 anos...”



influenciando como o pai fez com ele....
com pneus 205/75R-15


Consagrou-se Niva do Ano de 2010
após classificar-se como Niva do Mês.



“Parte da minha experiência é ter feito trilhas com várias marcas e modelos de 4x4 e saber que o Niva não faz feio. Infelizmente não é o que a maioria, ignorante de informação pensa.”
.
.
.
Fontes:
Orkut: Camaradas do Niva de Brasília
e-mails:
web:

.
.
.
.

Nenhum comentário: