6 de jun de 2013

PNEUS USANDO CORRENTES





Pneu com correntes é uma técnica e um sistema de segurança utilizada em locais com neve e gelo, onde o objetivo principal é evitar derrapadas e perda
de tração pelos pneus, aqui nós usamos na lama, principalmente em pneus mistos.




A técnica consiste em equipar os pneus com correntes, pode ser utilizado em diversos tipos e tamanhos de automóveis, de tratores a quadriciclos.
A corrente propicia ao veículo estabilidade e boa tração, porém somente é eficaz se o terreno tiver neve ou lama densa, e a velocidade média do veículo é reduzida em cerca de 20%, propiciando, com segurança, uma velocidade máxima de aproximadamente 50 km/h (30 mph). 






Geralmente são fabricadas com ferro e aço, em alguns casos, são utilizados materiais como kevlar (somente para neve). Algumas empresas fabricam as correntes com as medidas exatas para cada tipo de pneus, mas suas origens deram-se de forma doméstica até atingirem aceitação a ponto de ser fabricada em escala.




Circular na neve e lamaçal radical obriga a pneus adequados, algo que tende a ser dispendioso se incluirmos as jante, ou ao uso de correntes de neve, situação mais acessível, mas nem sempre a mais prática e que implica aquisições algo volumosas.




Mesmo havendo disponibilidade, o recurso a correntes implica instalação prévia, caso se queira evitar a situação de as colocar após o surgimento de uma situação, do que decorrem demoras por vezes inaceitáveis, obrigando, eventualmente ao esforço suplementar de as colocar e remover conforme o estado das estradas na região.













Em zonas mistas, onde apenas parte das vias requerem o uso de correntes, a situação pode ser ainda mais complexa, obrigando a escolher quais os meios que as devem ter instaladas e quais os que não devem, limitando posteriormente a escolha daqueles que poderão desempenhar missões numa e noutra área.

lembramos que as correntes não são universais, destinando-se a dimensões de pneus específicas, sem o que são impossíveis de ajustar devidamente, convertendo-se elas próprias numa autêntico perigo para o veículo e respectivos ocupantes, bem como para os demais para que utiliza.


Os preços dos conjuntos de correntes são bastante variáveis, dependendo das dimensões e da espessura dos elos, que podem ir desde os 9 até aos 16 mm, para usar medidas típicas, com os modelos de maior dimensão e complexidade a serem destinados a veículos de maior porte ou aos todo o terreno.


Para quem utiliza pneus de uso misto e enfrenta esporadicamente estradas enlameadas, pode precisar de mais tração nestes trechos. Para estes casos você pode colocar correntes nos pneus, que vai lhe proporcionar tração adicional e mais condições de dirigibilidade em lama ou neve. Mas use-as apenas em situações limite, pois as correntes são extremamente agressivas e antiecológicas, cavando sulcos profundos no terreno a ser transposto. Procure atender às seguintes recomendações:

• Não coloque as correntes se a pressão dos pneus foi reduzida, porque o movimento do veículo vai fazer as correntes mastigarem a borracha, danificando seriamente os pneus;
• Ao colocar as correntes nos pneus dianteiros, verifique se não há risco delas se chocarem com componentes da suspensão ao esterçar o volante;
• Evite que os pneus patinem. Eles podem adquirir muita velocidade e ao tocar novamente o solo a corrente agirá como um poderoso freio, provocando impactos na ponta de eixo e engrenagens do diferencial, com sérios riscos de danos. Trafegue em 4x4 se possível, use marchas reduzidas e aplique a velocidade adequada ao trecho;
• Após a colocação, ande alguns metros para que as correntes se acomodem aos pneus.
• Não trafegue em hipótese alguma usando correntes em pisos como asfalto ou estradas de terra firme. Além do desconforto gerado pelo atrito, as correntes poderão danificar seriamente os pneus. Se o trecho crítico acabou, remova as correntes.
  
Se precisar, volte a ajustá-las e distribuí-las nos pneus. Então, todo o conjunto estará pronto para o deslocamento. Veja a sequência de montagem das correntes:


1: Posicione a corrente no chão e em frente das rodas. Depois movimente o veículo até que as rodas fiquem em cima da corrente.


2: Distribua as correntes para que fiquem bem ajustadas ao corpo do pneu.


3: Correntes instaladas corretamente e presas por tirantes elásticos.




















Fontes:



3 comentários:

Ildo Costa Nunes disse...

Grauçá!
Parabéns pela matéria... A prendi a fazer uso de correntes desde os tempos de meu pai quando tinha uma F100 e enfrentava 200 km de barro...
Hoje tento achar corrente torcida para confeccionar um jg para o NIVildo, mas não se encontra no mercado mais, e os 2 jgs que tinha emprestei e nunca mais vi...deve ter ficado pela Patagônia!!! Rsrsrsrs

Luiz Carlos Da Silva disse...

Muito bom esta matéria, pois em estradas ruins como tem no interior do Pais isto vai ajudar muito.

Edson Seto disse...

Muito bacana a materia.. parabens pelos detalhes... Uma duvida me surgiu... dos textos e videos que ja vi... nunca vi ninguem usando corrente em areia...!!! aos entendidos e experts... sera que usando corrente em areia de praia... fica pior a aderencia?