26 de mai de 2016

Coisas Que Só Acontece Com Niveiros – Causos & Acasos (post 1110)


 
Contam que um advogado bem conceituado, gaúcho, de Pelotas, muito bem casado, inveterado consumidor de chimarrão, admirador dos carros soviéticos
oriundos da abertura das importações estrangeiras do primeiro presidente impeachmado do Brasil, passou por maus bocados com a sua Dona Patroa tentando se explicar como ocupava dois lugares ao mesmo tempo. 
 


Nosso personagem que chamaremos pelo pseudônimo de “Carleone”, num certo final de semana havia dito a sua Dona Patroa que iria dar uma volta com o seu Lada Niva próximo de sua casa, só para esquentar o motor, e que não demoraria nada, pois iriam almoçar. Quando circulava pela principal avenida cruzou com o maior “Professor Pardal” de peças para adaptações em veículos Lada Niva. Entre muitas rápidas conversas o “Professor Pardal” o convidou a ir até sua casa na cidade vizinha cerca de uns 50 km para lhe apresentar uma nova invenção que iria revolucionar o mercado offroad. Como tinha tempo livre até o almoço aceitou o convite e assim seguiram. Lá na oficina eletromecânica foi aquela confraternização. Assaram carnes, comeram queijos, beberam vinhos, fumaram charutos, consumiram chimarrões e riram muito com as histórias e causos dos amigos niveiros. Como o dia virou tarde e a tarde escureceu não perceberam que tempo voou e Carleone teria que voltar, pois sua Dona Patroa poderia estar preocupada... Preocupada?! Preocupada seria pouco! Dona Patroa estava era furiosa porque ele não apareceu para almoçar, não deu notícias e o celular do advogado que era 24 horas no ar não atendia, ele esquecera no porta-luvas. Dona patroa já havia ligado para todos os amigos, parentes e colegas de trabalho tentando localiza-lo sem sucesso e quando se dirigia a delegacia para fazer um BO do desaparecimento dobrava na esquina do condomínio o Lada Niva vermelho mais lindo da cidade...  Nosso amigo não pode nem se explicar direito, Dona Patroa ao vê-lo caiu em seus braços de paixão e saudades. Afinal o bonitão estava vivo, porem com um mix de bafo de vinhos e ervas dos chimarrões.
Ela furiosa perguntou: “- aonde o senhor estava?!”
Ele com toda sinceridade disse: “- com nosso amigo niveiro olhando novas peças...”
Dona Patroa não acreditando muito, pois ele nunca ficou tanto tempo fora de casa em finais de semana, principalmente num sábado, sem avisar, disse: “...eu vou apurar essa história direitinho!” 
Ligou para o “Professor Pardal” que confirmou sua presença, daí ela se acalmou.
 


No mesmo sábado aconteceu um almoço da OAB na Chácara do Forte, lá aonde sempre acontece o encontro Lada Fans RS. No domingo, dia seguinte, no fim de tarde passeando com sua Dona Patroa no maior shopping da cidade, o advogado encontra vários colegas advogados que o parabenizam pela atitude amorosa afirmando que tinham visto o casal no Niva estacionado a beira do rio, embaixo de uma árvore, e que não formam incomodá-los, pois o romance estava pegando fogo.

Dona Patroa arregalou os olhos e exclamou: “- como é que é?!”
O advogado pulou longe: “- não, não, não, nem podiam, porque eu não fui à chácara!”
Os colegas insistiam que era Carleone e a Dona Patroa que estavam lá sim, numa pegação louca. Ele negava, pois estava com o “Professor Pardal”. Pronto o problema estava arrumado. Dona Patroa logo prometera o sofá por tempo indeterminado e regulação da mixaria.

Daí em diante foi uma saga para o advogado tentar provar ao contrario, pois a esposa do “Professor Pardal”, seu álibi, estava em viagem no dia do evento. E ainda por cima meia dúzia de pessoas jurava de pé juntos que era o Lada Niva do advogado que estava lá, sim! Tanto insistiam que o advogado já estava quase se convencendo que era ele mesmo. 



Dias depois ao sair do escritório com destino ao desconfortável sofá, foi abastecer o Lada Niva, quando o frentista comenta:
"- outro dia abasteci um carro bem igualzinho ao do senhor aqui, só que era do Uruguai, ele estava hospedado lá na Chácara do Forte..."
O advogado ficou louco. Correu, chegou em casa ligou para a Chácara do Forte e para seu alívio confirmaram. O "hermano" uruguaio tinha um Lada Niva idêntico ao dele, e o cara todos os anos vem de Montevidéu com sua esposa para se hospedar na Chácara do Forte em Caçapava do Sul - RS, bem a poucos quilômetros da sua casa! Nem preciso dizer que ele fez contato com o “hermano”. Ah, o advogado não mais dorme no sofá da sala, fez um novo investimento, comprou uma cama Box king Size Mega Extra Plus da melhor qualidade.
 


Atenção: Qualquer semelhança entre os personagens e fatos com certeza é mera coincidência, isso é pura ficção. 



Visite a página “Causos e Casos do Niva”