1 de mar de 2011

8 de Março! Viva as Mulheres e seus incríveis Russos!

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por "Pão e Paz" - por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a idéia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto. No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
Em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, mas também a discriminação e a violência a que muitas delas ainda são submetidas em todo o mundo.



No ORKUT desde 12 de julho de 2005 na ativa, hoje são 441 membros na comunidade "Mulheres de Niva", mas nem todos são mulheres, exitem homens como eu que apoia: MULHERES DE NIVA (facebook): https://www.facebook.com/mulheresdeniva
Mulheres de Niva (Orkut)  http://www.orkut.com/Community?cmm=3366796&hl=pt-BR    

“Não somos muito econômicas, mas somos poderosas e resistentes. Não somos nada silenciosas, mas superamos facilmente os obstáculos. Não temos uma mecânica muito simples, porém saímos da lama e ainda "guinchamos" quem precisa de ajuda. Não somos nada lentas, somos fortes e fazemos o que tem que ser feito, mesmo que á 40km/h. Somos destemidas, valentes e nossa aerodinâmica é mesmo assim, VOLUPTUOSA. Mulheres e Nivas: Qualquer semelhança é mera realidade!!!" – por Danie 


JORNAL do BRASIL - domingo, 13 de abril de 2008 (Matéria sobre as “Mulheres de Niva”)

Niva, o sedutor incorrigível
Jipe russo vira o queridinho das mulheres, tanto nas ruas quanto nas aventuras off road.
Por Antonio Puga

Os franceses sempre tiveram a fama de grandes sedutores. Mas há um russo que mesmo sem o charme e o savoir faire do rival, também arrebata corações femininos. Esse Don Juan de meia-idade é o Lada Niva, jipe russo com tração integral feito para as péssimas estradas da extinta União Soviética, que chegou ao Brasil no início de 1990 como símbolo da abertura do país às importações. Passadas quase duas décadas, o utilitário desbancou tradicionais 4x4 na preferência das mulheres que gostam de off road. Explicar essa paixão por um modelo que parou de ser importado é quase impossível. Há até uma comunidade no Orkut denominada Niva Terapia, criado pela terapeuta holística Kamala Aymara, 26 anos, niveira confessa e assumida.
– “Aprendi a dirigir no Niva do meu pai. Foi uma experiência marcante, porque decidi que um dia teria um. Há um ano comprei com meu namorado um modelo 1993, que passou por algumas modificações, como a instalação de GNV. Quero ver se mais à frente compro outro, só para adaptar motor diesel. Já a idéia de criar o Niva Terapia surgiu durante minhas pesquisas na internet. O projeto alia minha profissão com o prazer das trilhas no jipe” – revela Kamala, que se prepara para aventuras mais ousadas com o companheiro, enfrentando todo tipo de terreno.
Outra enamorada pelo carro é a professora Cláudia Guilherme Moura, 40 anos, que há cinco meses realizou seu sonho de consumo ao ganhar de presente do marido um modelo de 1991 todo original.
– “Desde a primeira vez que vi o Niva me apaixonei. Era diferente, com aquele desenho quadrado. Passei a procurar na internet, li tudo sobre o carro, entrei em fóruns de niveiros (há várias comunidades). Fiz questão de manter meu carro como vem de fábrica. Procuro peças através de sites e só faço trilhas leves. Tenho o maior cuidado – diz a professora, que não o vende por nada.”


1º Encontro de "Mulheres de Niva"


Estilo de vida
Mais do que uma paixão, ter um Niva é adotar um estilo de vida diferente. Nada de competir em acessórios e modelos mais sofisticados nas trilhas. É poder desfrutar da natureza e fazer amigos, garantem as Mulheres de Niva. É o caso da bióloga Ana Carla Costa, 38 anos, que encontrou no jipe o prazer de andar de carro em caminhos ruins.
– “Sempre gostei de fazer trilhas, tanto que detonei três Uno em viagens. Há um ano comprei meu Niva ano 1991. É o carro no qual me encontrei e com o qual ganhei novas amigas” – descreve Ana Carla.
A dona do jipe, que pretende fazer curso de mecânica, conta ainda que fez uma longa pesquisa, leu o manual (fato comum entre elas) e providenciou modificações. A direção, que é pesada, foi trocada por uma hidráulica, de Opala. Para melhorar o consumo – 7 km por litro – fez a conversão para o GNV. O freio a disco veio do Siena, o carro ganhou ignição eletrônica, faróis de Kombi, vidros e travas elétricas.
Não são só as amantes de natureza que se deixam seduzir por esse russo cujo grande atributos é aceitar peças de outros carros sem comprometer seu desempenho. A publicitária Patrícia Pinheiro Nogueira, 33, resolveu um problema.
– “É um carro que me atraiu não só por sua altura, me deixa mais poderosa e sempre foi um desejo antigo. Sem contar que o preço é mais acessível do que outros 4x4 (a média é R$ 7 mil). Muitos amigos foram contra a minha escolha, inclusive por ser um carro antigo e haveria dificuldade em encontrar peças. Mas valeu a pena. Os niveiros são pessoas que se ajudam e estão sempre prontos a prestar socorro com peças ou conserto. Eu o uso no dia-a-dia” – garante.

2º Encontro de "Mulheres de Niva"





 O Grauçá antecipa homenagem porque 8 de março é a terça-feira do carnaval, mas lembra que já fez outras homenagens,  desde a MUSA do Grauçá (http://grauca4x4.blogspot.com/2009/02/mulheres-de-niva-musa.html), na sequência recebi um e-mail de uma Niveira declarando-se apaixonada desde criança (http://grauca4x4.blogspot.com/2010/07/mulheres-de-niva-dos-7-aos-20-anos-uma.html), em seguida apresentei a Niveira, modelo e apresentadora de TV: (http://grauca4x4.blogspot.com/2010/07/mulheres-de-niva-simone-beltramini.html), e destacamos a entrevista virtual com simbologia da mulher Niveira offroad (http://grauca4x4.blogspot.com/2010/11/mulheres-de-niva-entrevista-com-niveira.html), que detem 4 finalistas ao Niva do ano, e como não poderia deixar passar em branco essa data tão importante para nossas mulheres, então, lanço um vídeo/fotos comemorativo: 8 de Março, dia internacional das "Mulheres de Niva"






Agradecimento especial as "Mulheres de Niva", por existirem e terem confiado na seriedade do blog do Grauçá enviando e autorizando fotos.

PARABÉNS!!!
.
.
.
Fontes:


.
.
.
.

3 comentários:

Luis fernando disse...

Muito legal betão, aquela foto do 2 encontro de mulheres de niva tem um niva grená atrás delas, aquele niva é o meu atualmente.Era do André,conheci pelas rodas diamantadas que hj já não são mais e o guinchinho manual... E bem que eu vi que tem um adesivo no meu niva `mulheres de niva´. KKKKKKK
abraço

Dr. Caio Pompeo P. Alves disse...

Parabéns!
Justa e bonita homenagem as mulheres e aos nivas!
Grande abraço,

Torres disse...

Minha mãe adora o Niva!!! rsrsrs
Parabéns às mulheres e principalmente às "mulheres de Niva!!!